terça-feira, maio 20, 2014

Porque não voltar a morar no Brasil?

Não preciso contar aqui a quantidade de problemas, principalmente sociais, ambientais e econômicos que existem no Brasil, estamos cansados de saber que no nosso país falta segurança, falta educação e saúde pública, falta tolerância, infelizmente falta tanta coisa e sobra outras, como desigualdades, exclusões e injustiças. Nosso país é profundamente injusto. 

As oportunidades não são oferecidas a todos os nossos cidadãos e a nossa miséria, material e intelectual, é uma lástima. A violência urbana assusta muito, a impunidade revolta, a corrupção e a ineficiência, tanto do governo como da iniciativa privada são estímulos para a indignidade. 

Gosto muito da vida que levo atualmente em Portugal, me sinto bem. Aqui aprendi a respeitar mais as diferenças, ser flexível e descobri a diversidade de raças, culturas, estilos de vida e pensamento muito diferentes dos nossos, brasileiros, muitas vezes machistas, comodistas e hipócritas.

Os portugueses são afáveis e acolhedores, na minha opinião e na de muitas pessoas que moram aqui,  são carinhosos, recebem bem os visitantes, venham de onde vierem. 

O choque cultural me forçou a perceber que minha visão de mundo está longe de ser a mais correta e especial. Aprendi que cada pessoa é um mundo e que cada um de nós cuida do seu próprio terreno, sem precisar ser superficial e forçado. 

Aprendi que uma cidade não é formada por um bairro ou dois, é uma só, sem divisões, a tal diferença de “classes” é estupidamente menor. Todos podem ter acesso a educação, aposentadoria, saúde, somos todos iguais. Isso é fantástico! Mesmo com pouco dinheiro as pessoas podem ter uma vida cultural agitada, podem se divertir e ainda viajar por muito pouco.

Aprendi ainda que as diferenças nem sempre geram integração, que imigrante tem que ser ainda mais esforçado, que tem que lutar muito para conseguir se estabelecer e que, por questões que fogem as suas capacidades, nem sempre consegue conquistar o que quer. E que apesar de tanta tolerância e igualdade por um lado, pode ser bastante preconceituoso e injusto por outro.

Então, depois de conviver com tantos outros valores e realidades, muitas vezes penso que não tenho vontade de voltar a morar no Brasil. Aprendi a cruzar uma rua pela faixa de pedestre sem medo de ser atropelada, a andar com meu computador/IPad/IPhone na bolsa sem medo, de ouvir uma música enquanto faço minha corrida na praia sem medo de ser roubada, aos domingos ir para o parque público ver famílias inteiras fazendo piqueniques ou crianças soltas jogando bola, de ver uma roda de velhinhos jogando cartas na praça felizes, entrar num ônibus sem medo e ver o motorista ajudando um cego a entrar e sentar na cadeira, essas coisas parecem tão simples, mas que no Brasil há muito tempo não existe.

Adoro ir para Maceió, rever meus amigos, passar tempo com minha família, comer todas as comidas que mais adoro e sinto falta. Mas confesso que não sinto nenhuma vontade de voltar a morar em Maceió. Sei que as praias são maravilhosas, as pessoas são legais, a comida é boa, mas não existe preço que pague a minha liberdade, de poder andar sozinha a noite na rua, de ter transporte público de qualidade, de não ter medo de ser assaltada ou que a minha vida está em constante perigo.

E quando pensei em voltar para o Brasil há uns anos atrás, e se readaptar à antiga cultura, sabia que seria pior que a dificuldade que tive em se adaptar aqui. Não, não é só geografia, nem tampouco é apenas culinária, cultura ou economia. É que o país de onde eu vim, também não existe mais, tudo muda, a minha cabeça mudou, os meus amigos mudaram. As “coisas” não ficaram lá esperando por mim, o choque dessa diferença seria muito grande.

Claro que nem tudo é perfeito

A distância da família, o fato de ser estrangeiro, a dureza dos invernos aqui (sou nordestina e foi muito duro nos primeiros anos), a falta dos amigos, passar datas importantes longe de quem a gente gosta...
Reconstruir a vida não é fácil. Fiz alguns amigos por aqui e não tenho do que reclamar. Sempre fui bem tratada, tive oportunidades que sempre quis e pedi, terminei a faculdade na Universidade do Porto, o curso de arquitetura é considerado um dos melhores da Europa, fiz muitos cursos que sempre quis fazer e não ia ter a mesma oportunidade no Brasil, conheci muitas pessoas nesses cursos que fizeram muita diferença na minha vida. Mas os amigos que deixamos faz uma falta danada!

Apesar de em Portugal, teoricamente, falarmos a mesma língua, a verdade é que são muitas palavras diferentes, ou palavras iguais com significados diferentes que as vezes me pergunto se falamos de verdade a mesma língua, aprendi as palavras que eles usam e não foi fácil. 

Sempre serei estrangeira

Choque cultural dói e não é pouco. Depois aprendi a conviver com isso, mas no início foi bem complicado ter minha visão de mundo desafiada, forçar meu jeito de pensar e ser "a estranha".

Mesmo morando há muitos anos em Portugal, nunca vou ser portuguesa de verdade, não consigo falar com o sotaque português, não penso da mesma forma, tem coisas que aprendi no Brasil que não são iguais, tem sempre diferenças que por mais tempo que fique aqui não nasci aqui, não fui criada aqui, não cantei as músicas infantis que eles cantaram escola, eu não vi os mesmos desenhos animados, não tive os mesmo brinquedos na infância, não fui educada da mesma maneira e por mais que eu adquira a cultura do lugar, as diferenças sempre vão existir.

Eu sempre serei "a brasileira", a "que fala diferente", a "gringa". E tem horas que isso cansa. Por outro lado, se cansa, tem coisas que compensam, e nem tudo é perrengue e dificuldade.

Há muito o que se ganhar depois que se paga o preço de aprender com a dor e as dificuldades, sobreviver depois de tudo é sensacional.

24 comentários :

  1. Nossa você parece que descreveu o que penso e sinto do Brasil, quem sabe um dia ele seja um país de primeiro mundo e assim todos podemos volta a casa,coisa que e difícil mais não impossível.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aproveitei a oportunidade que tive de viver em um lugar que parece mais justo do que o lugar onde eu nasci, todo mundo deveria ter a oportunidade de sair da sua bolha, ver o mundo com outros olhos, aprender novos valores e, quem sabe, voltar e conseguir lutar por um lugar melhor. O Brasil é um país com duas caras, lindo e horrível ao mesmo tempo. Depois de conviver com tantos outros valores e realidades, não tenho vontade de voltar a morar no Brasil. Seria tão diferente e tão difícil... Estou feliz em Portugal! :)

      Eliminar
    2. Te entendo perfeitamente Ione, eu sou casada com um Português e vivemos na Holanda e uma mistura de culturas e sou apaixonada por Portugal vivemos aqui por causa da crise, mais sonho um dia isso tudo passar e podermos volta a nossa casinha,gosto da Holanda tbm mais prefiro Portugal e também não penso em volta pra casa a não a passeios pois minha família toda vive no Brasil :)

      Eliminar
    3. Vi seu depoimento sobre morar em Portugal. Gostaria de manter contato com vc pra me dar informações como é viver em Portugal, pois pretendo me estabelecer por lá início próximo ano. Espero contar com suas dicas.
      Um abraço,
      Selma Rabelo
      Email : mx.carvalho6@live.com

      Eliminar
    4. Vi seu depoimento sobre morar em Portugal. Gostaria de manter contato com vc pra me dar informações como é viver em Portugal, pois pretendo me estabelecer por lá início próximo ano. Espero contar com suas dicas.
      Um abraço,
      Selma Rabelo
      Email : mx.carvalho6@live.com

      Eliminar
  2. Apesar de ter-me nacionalizado portugues a mais de dois anos, ainda não tive a oportunidade de conhecer essa terra que muito admiro, porém o retrato que fizeste do Brasil é exatamente o que vivo e sinto, porém como tenho renda bem superior à média dos brasileiros, esposa e duas filhas em universidade me acovardo em tentar algo que passa de forma recorrente em minha mente, sucesso!

    ResponderEliminar
  3. Ola Ione, prazer me chamo Dag Ane, tenho 20 anos, li a sua matéria e realmente me identifiquei com sua história, por favor queira me adicionar para podermos trocar experiências : dag_gil@hotmail.com

    ResponderEliminar
  4. Olá! Adorei o seu texto. Pretendo ir embora do Brasil para Portugal. Gostaria de me trocar ideias, tirar dúvidas... Podemos conversar? Meu e-mail é in_cristina@hotmail.com
    Grande abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vi seu depoimento sobre morar em Portugal. Gostaria de manter contato com vc pra me dar informações como é viver em Portugal, pois pretendo me estabelecer por lá início próximo ano. Espero contar com suas dicas.
      Um abraço,
      Selma Rabelo

      Eliminar
    2. Vi seu depoimento sobre morar em Portugal. Gostaria de manter contato com vc pra me dar informações como é viver em Portugal, pois pretendo me estabelecer por lá início próximo ano. Espero contar com suas dicas.
      Um abraço,
      Selma Rabelo

      Eliminar
  5. Me identifiquei demais com as suas palavras!!! Estou vivendo o pior momento da minha vida, pois joguei para o alto 10 anos de Portugal para voltar para Recife. Tamanha foi a decepção aqui. Cheguei tem 6 meses e já me arrependi amargamente. Sou formada em gestão de RH por uma universidade particular de Lisboa e ainda não consgui arranjar emprego aqui.
    É como você diz, tudo mudou o país e os amigos não esperaram por nós. Mas ao mesmo tempo vejo que nada mudou! A pobreza, a falta de educação das pessoas, a corrupção, a sujeira pelas ruas... Infelizmente sou brasileira mas não me sinto como tal. Cheguei a comprar casa em Lisboa, tive uma filha, me firmei de tal madeira que hoje olho à volta e sinto falta de "casa", Portugal!! Mas os meus dias aqui já estão contados, decidimos regressar dentro de 2 meses no máximo. Vedi tudo (excepto a casa), gastei muito dinheiro com esse retorno ao Brasil, para agora começar tudo de novo do zero, mas essa experiência não foi em vão, ao menos agora tenho a certeza de que esse já não é o meu lugar... ja tirei a pulga da minha orelha! Alívio!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Mirela,
      Vi seu depoimento sobre morar em Portugal. Gostaria de manter contato com vc pra me dar informações como é viver em Portugal, pois pretendo me estabelecer por lá início próximo ano. Espero contar com suas dicas.
      Um abraço,
      Selma Rabelo

      Eliminar
    2. Oi Mirela,
      Vi seu depoimento sobre morar em Portugal. Gostaria de manter contato com vc pra me dar informações como é viver em Portugal, pois pretendo me estabelecer por lá início próximo ano. Espero contar com suas dicas.
      Um abraço,
      Selma Rabelo

      Eliminar
  6. Belas palavras. Realmente animador pra quem esta indo agora pra Portugal como eu.
    Espero sentir toda essa positividade por la.
    Grande abraço.

    ResponderEliminar
  7. Tudo o que você falou sobre o País é verdade... mas acredite, seria um pouco diferente se o PT não fosse eleito ano após ano...

    ResponderEliminar
  8. Olá Ione, parabéns pelo blog...muito bacana!

    Aqui, sou Engenheiro Civil, tenho vontade de morar aí em Portugal...minha esposa está terminando o doutorado em Enfermagem (deseja ser professora de Universidade). Tem mercado pra gente aí? Sei que com a crise essa resposta fica mais difícil...mas o cenário tende a melhorar segundo a projeção econômica de alguns especialista.

    Sds,

    Daniel!

    ResponderEliminar
  9. Olá pessoal, moro em Guarulhos, sou casada, tenho dois filhos, meu marido é português e sentimos vontade morar em Portugal, devido a crise econômica que estamos vivendo, sou formada em Ciências contábeis e atualmente estou desempregada desde março, fui demitida assim que retornei da licença maternidade. Meu marido é autônomo, tudo está muito difícil, estamos pensando em ir para Portugal, antes que as coisas piorem, me digam por favor, por onde começar?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá! Meu conselho é contactar a Embaixada de Portugal ou o Consulado aí mesmo no Brasil.
      A situação, aqui, também não está melhor...
      Abraço
      Maria

      Eliminar
    2. Muito obrigada pela dica Maria. Estamos colhendo informações e estudando a situação, para decidirmos o que realmente iremos fazer. Sei que não é fácil uma mudança para outro país. Um grande abraço. Adriana.

      Eliminar
  10. Ola Ione, muito prazer! Chamo-me Rosangela, somos aposentados eu e meu marido, e pretendemos morar por um tempo em Portugual. Li seu artigo e gostei muito de sua história. Sei que o governo português incentiva moradia de aposentados em Portugal, estamos em contato com a Embaixada, aqui em Brasília, por favor queira me adicionar para podermos trocar experiências: rosangelaens@yahoo.com.br

    ResponderEliminar
  11. Oi meu marido e eu estamos pensando em nos mudar para Portugal gostaria de umas dicas diane00santana@gmail.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi. Vcs não têm algum ascendente portugues ? A lei mudou e agora quem tiver avós portugueses pode pedir a nacionalidade portuguesa.

      Eliminar
  12. Entendo tão bem o depoimento de tanta gente, da dificuldade de reintegração nesse Brasil tão lindo....posso definir um pouco o que aqui se passa, as carateristicas do povo. Em primeiro lugar, para quem preza a segurança, não tenham dúvidas que aqui tenho a liberdade de sair a qualquer hora do dia e noite, sem ter a paranoia de roubo, sequestro, bala perdida...eu e a minha filha de 18 anos. Existe sempre alguma desconfiança por parte de certas pessoas pelos brasileiros, muito devido ao comportamento de alguns brasucas que aqui fizeram certas burradas...mas de maneira geral, o brasileiro , sem ser aquele que é presunçoso, é bem recebido. Acima de tudo, o que é mais necessário para uma boa integração e felicidade do próprio brasileiro, é NÃO COMPARAR pois de nada vale o espertinho que vem com as comparações. Estamos na Europa, esse raciocínio primata de comparação com o país do qual se é originário,pertence a séculos passados. Vive-se o presente e o agora e isso é que conta. Embora individualistas ( carateristicas do europeu ) tem-se uma noção mais abrangente da coletividade, de se pertencer a um todo, daí, assuntos como a responsabilização coletiva estar mais desenvolvida que no Brasil. Responsabilização colectiva reflete num voto mais consciente ou então na abstenção no voto ( viva a liberdade individual ), no respeito pela individualidade ( não pela perspetiva do apelo ao egoismo ), pela aceitação e respeito por diferentes formas de ser e pensar.....os protestos são mais cívicos, as reclamações mais dirigidas para comportamentos e não para pessoas ( assertividade ) , os direitos existem mas não há a arrogancia e a falta de educação de se os impôr ao contrário do que pude já ver em diversas ocasiões no brasil, existe o respeito sentido e não imposto, há o acesso ao serviço publico de saude que prima por ser muito melhor que o do brasil, para quem queira tem pacotes bem mais economicamente baratos que no Brasil para esquemas de saude privada....a unica questão é a crise, mas parece que ela é transversal a todos os países.

    ResponderEliminar
  13. Estou pensando em passar uns tempos em Sintra, pois ando cansada de sentir medo, aqui no Brasil. Minha filha teve uma arma apontada na cabeça, no portão de nossa casa, com toda a família como testemunha. Vieram dois jovens armados e não se intimidaram com 4 pessoas. Fiquei muito abalada, e se já tinha medo, desde então não tenho sossego. Odiei o sentimento de quase agradecer o bandido por não nos matar. Foi demais.

    ResponderEliminar