Enxoval de bebê - a maneira mais inteligente de economizar tempo e dinheiro!

Descubra os locais certos para comprar com um roteiro personalizado.

Os 10 melhores passeios no Porto

Classificado como Património Mundial pela UNESCO graças aos seus belos monumentos e edifícios históricos, o Porto possui vistas soberbas.

Como ir do Aeroporto para o Centro de Lisboa

Descubra as várias ofertas para se deslocar para o centro de Lisboa.

sábado, dezembro 28, 2013

Clima durante o ano em Madrid, Espanha


Temp

Janeiro

Fevereiro

Março

Abril

Maio

Junho
max
11°
15°
17°
20°
26°
min
10°
14°

Temp

Julho

Agosto

Setembro

Outubro

Novembro

Dezembro
max
30°
30°
25°
18°
12°
min
17°
17°
14°


Chuva

Janeiro

Fevereiro

Março

Abril

Maio

Junho
mm
40
40
30
50
40
30

Chuva

Julho

Agosto

Setembro

Outubro

Novembro

Dezembro
mm
10
10
30
40
60
50

quinta-feira, dezembro 19, 2013

O Bolo Rei, doçaria típica da época natalícia

Bolo rei é um bolo típico português que se come tradicionalmente entre o Natal e o Dia de Reis. De forma redonda, com grande buraco no centro, é feito de uma massa branca e fofa misturada com passas, frutos secos e frutas cristalizadas. Tradicionalmente, no interior do bolo encontravam-se também uma fava seca e um pequeno brinde, normalmente feito de metal. 
Por detrás do bolo-rei está toda uma simbologia com 2000 anos de existência. De uma forma muito resumida, pode dizer-se que esta doce iguaria representa os presentes que os três Reis Magos deram ao Menino Jesus aquando do seu nascimento. Assim, a côdea simboliza o ouro; as frutas, cristalizadas e secas, representam a mirra; e o aroma do bolo assinala o incenso.

Ainda na base do imaginário, também a fava tem a sua "explicação". Reza a lenda que, quando os Reis Magos viram a estrela que anunciava o nascimento de Jesus, disputaram entre si qual dos três teria a honra de ser o primeiro a brindar o Menino. Com vista a acabar com aquela discussão, um padeiro confeccionou um bolo escondendo no seu interior uma fava. O Rei Mago a quem calhasse a fatia de bolo contendo a fava seria o primeiro a entregar o presente. O dilema ficou solucionado, embora não se saiba se foi Gaspar, Baltazar ou Belchior o feliz contemplado.

Hoje em dia, o bolo-rei inclui um brinde e uma fava. O brinde é um pequeno objecto metálico sem outro valor que não seja o de símbolo, e mesmo assim pouco evidente para a maioria das pessoas.
A fava representa uma espécie de azar: quem ficar com ela tem que comprar outro bolo-rei.

Tanto quanto se sabe, a primeira casa onde se vendeu em Lisboa o bolo-rei foi a Confeitaria Nacional, certamente depois de 1869. A pouco e pouco, a receita do bolo-rei generalizou-se. Outras confeitarias de Lisboa passaram a fabricá-lo, o que deu origem a versões diversas, que de comum tinham apenas a fava.


quarta-feira, dezembro 18, 2013

Lista de locais para visitar em Lisboa

A CIDADE

Descobrir e sentir uma Cidade, é um misto de observação e vivência só conseguidos quando nos envolvemos no seu quotidiano e descobrimos cheiros, sons, vozes, caminhos, recantos...

Em Lisboa, a presença do rio Tejo acompanha-nos ao longo da nossa descoberta através de ruas cheias de história, numa cidade que revela o seu passado a cada instante, enquanto os passeios em calçada portuguesa nos levam da Praça do Comércio, através da Baixa Pombalina, até ao Castelo de São Jorge.

Daqui, do castelo, abarcamos um panorâma único sobre a margem Sul, o Rossio, o Convento do Carmo, o Bairro Alto, a Avenida da Liberdade e o Parque Eduardo VII, a Senhora do Monte e a Colina da Graça. Imagem de Postal Ilustrado sob um céu quase sempre azul, Lisboa vai colorindo telhados, ruas, casario, janelas e verdes recantos numa diversidade de tons e cores onde o Tejo oferece uma luminosidade única!


BAIRRO DE ALFAMA - O Bairro de Alfama é o mais antigo de Lisboa, é residencial, tradicional e tem mirantes, cafés, igrejas, ladeiras e o Castelo de São Jorge. Na minha opinião Alfama é um bairro que reflete o espírito real da antiga Lisboa, com os seus becos labirínticos, casas humildes, roupas penduradas no varal, cachorros, gatos, artistas e casas de fado. Um dos bairros de visita obrigatória, ponha uns sapatos confortáveis porque não faltarão altos e baixos; caminhe pelas suas ruas labirínticas, estreitas, por vezes com edifícios degradados que amontoam o sabor de todas as culturas que passaram pela capital portuguesa. Velhas ruas, distorcidas pelas trilhas do eléctrico (bonde) que com a sua melodia de voltas e paradas dá vida a este encantador bairro, de flores na varanda, roupa estendida, miradores onde contemplar o fusão do rio Tejo com o Atlântico, e pequenas lojas. Entre as suas ruas, encontrará: O Castelo de São Jorge, o Miradouro de Santa Luzia, o Museu de Artes Decorativas, a Igreja de São Vicente de Fora, a Feira da Ladra, Santa Engrácia, o Museu Militar, a Sé... Etc.


MIRADOURO DE SÃO PEDRO DE ALCÂNTARA - Este miradouro situa-se no topo do percurso do Elevador da Glória, perto de uma das muitas entradas para o Bairro Alto. Tem vistas incríveis sobre Lisboa, especialmente das áreas da Graça e do Castelo de São Jorge. Este magnífico local dá-lhe uma perspectiva única da cidade onde mistura o velho e o novo. Calmo durante o dia, este miradouro fica completamente diferente à noite. Idosos jogam cartas ou ficam passeando com os seus amigos de quatro patas cedem o espaço a uma multidão mais jovem que procura a diversão e movimento que caracterizam a noite do Bairro Alto.





PARQUE EDUARDO VII - O Parque Eduardo VII situa-se no extremo norte da Avenida da Liberdade, mesmo por trás da Praça Marquês do Pombal. Originalmente designado Parque da Liberdade, foi rebatizado com o nome do Rei de Inglaterra que veio a Lisboa em 1903 para reafirmar a aliança Anglo-Portuguesa. Detentor de excelentes vistas sobre a cidade, é frequentemente palco de exposições, concertos e da Feira Anual do Livro.
A Estufa Fria é um verdadeiro museu verde, onde plantas e flores dos cinco continentes crescem harmoniosamente sob um tecto que regula a temperatura do ar e a intensidade da luz. Foi construída em 1930 e fornece aos que a visitam a tão procurada paz de espírito e uma purificação dos sentidos, num cenário encantado com lagos, pequenas fontes e estátuas.


AVENIDA DA LIBERDADE -  Esta é a Avenida da Liberdade, sinônimo de elegância, moda e movimento, você encontra lojas, hotéis, cafés, teatros, universidades... uma veia viva que faz a ligação entre a Praça do Marquês de Pombal e a baixa de Lisboa.
Esta é uma das mais (se não a mais) importantes avenidas de Lisboa e é também o ponto de eleição de escritórios, árvores centenárias, lojas de moda internacional e muitos trabalhadores que por ali passam todos os dias.
Um lugar bastante agradável para passear, olhe com atenção à sua volta e repare nas antigas lojas de alfaiates, seguidas de marcas internacionalmente conhecidas como Calvin Klein, Timberland, Massimo Dutti, Armani, Burberrys e Adolfo Dominguez. 
Preste especial atenção ao magnífico trabalho que os calceteiros portugueses fizeram nesta  famosa rua.

AMOREIRAS SHOPPING CENTER - Mais de duas décadas após a sua construção, o AMOREIRAS Shopping Center conquistou, em definitivo, o estatuto de ícone de Lisboa. Localizado no coração da capital portuguesa, inserido num complexo de escritórios e habitações, com uma arquitetura ousada para a época, cedo se tornou um ponto de encontro da classe média alta e alta, exigente na qualidade e sempre atenta às últimas tendências da moda.

Horário: 10h00 às 23h00
Endereço: Av. Eng. Duarte Pacheco, loja 2037 - 1070-103 LISBOA


ESTAÇÃO DO ROSSIO - Em estilo neo-manuelino, a estação de comboios do Rossio é um incrível monumento, que se situa entre a Praça do Rossio e os Restauradores e foi desenhada pelo arquitecto José Luís Monteiro. As oito portas combinam com as nove janelas e com o relógio incrivelmente decorado, situado no cimo da fachada. Desta estação partem comboios (trens) para a encantadora região de Sintra, passando por Queluz. Construída em 1886/87, esta estação foi recentemente renovada. A plataforma de embarque está agora ligada ao Metro e conta com um dos mais magníficos trabalhos: olhe para o teto e deslumbre-se! Faça questão de visitar a estação do Rossio. Tenho certeza que não se arrependerá.

ROSSIO - O Rossio conta com uma das praças mais bonitas de Lisboa. As pessoas passam por aqui todos os dias, apressando-se para irem trabalhar e raramente reparam na beleza do que têm à sua volta. Não é apenas a beleza dos seus monumentos e das suas fontes, ou a sua fascinante história... o Rossio é um livro vivo. Recentemente renovado, não perdeu contudo o seu misticismo, pode observar no Teatro Nacional D. Maria II, onde muitas peças foram, e são, representadas e vistas por reis e rainhas, nas fontes usadas no início de Outubro para batizar os caloiros acabadinhos de entrar na universidade, nos cafés em tempos frequentados por personalidades portuguesas e... sim... nas castanhas assadas que já se vendem na Praça do Rossio há muitos, muitos anos.
No meio da praça está uma estátua de D. Pedro IV e a seus pés quatro figuras femininas representam a Justiça, a Sabedoria, a Força e a Temperança, qualidades atribuídas a D. Pedro.
A praça, ao início conhecida como 'Praça D. Pedro IV', ficou conhecida como Rossio entre os habitantes locais e continua a ser um ponto de encontro tradicional não só para os lisboetas, como também para todos os que visitam Lisboa.
Aproveite e almoce no Restaurante Honra, fica localizado nesta praça. Fiz um post sobre o restaurante aqui.

RUA AUGUSTAA Rua Augusta situa-se num dos quarteirões mais movimentados de Lisboa. Fechada ao trânsito, esta rua conta com todo o tipo de lojas para todo o tipo de gostos, com vendedoras de flores, vendedores de castanhas assadas, artistas de rua independentes como o 'homem-estátua' ou o familiar tocador de harmónica e muito, muito mais. Nos dois extremos da Rua Augusta encontra duas praças magníficas: a Praça do Rossio e a Praça do Comércio. Perto do arco que abre caminho para a Praça do Comércio costumam estar vendedores de rua oferecendo o mais variado tipo de produtos: anéis, bijuteria, calçado, malas, cachecóis ou tatuagens temporárias... 
Outra curiosidade nesta área é o nome das ruas paralelas à Rua Augusta. Grande parte dos nomes diz respeito aos ofícios ou aos materiais que em tempos se praticaram ou circularam nelas: Rua dos Sapateiros, Rua da Prata , Rua do Ouro, etc.
O velho estilo arquitetônico, originário da reconstrução de Lisboa levada a cabo pelo Marquês de Pombal depois do terramoto de 1755, ainda está intacto, por isso pode ver muitos dos edifícios com o seu traçado original. Você vai adorar esta rua!


PRAÇA DO COMÉRCIO - A Praça do Comércio, também conhecida como Terreiro do Paço é uma das praças mais majestosas de Lisboa e foi, em tempos, a principal entrada marítima da cidade. Ainda hoje pode ver a escadaria em mármore que sai do Rio Tejo em direcção à Praça do Comércio. O nome Terreiro do Paço é, claramente, uma referência ao Palácio que aqui esteve durante 400 anos, até à altura do terramoto de 1755 que o destruiu quase na totalidade.
No lado norte, a praça é centrada por um impressionante arco que conduz à Rua Augusta, uma das principais áreas de comércio pedestre da baixa de Lisboa. O arco está decorado com estátuas de personalidades históricas, como Vasco da Gama (marinheiro português) e Marquês do Pombal (responsável pela reconstrução de Lisboa depois do grande terramoto).
Os espaçosos edifícios arqueados, que se estendem pelos outros três lados da praça, são hoje sede de departamentos governamentais e de alguns restaurantes.
E por falar em restaurantes, é também nesta praça que encontra o café mais antigo de Lisboa: o "Martinho da Arcada" abriu as portas com candeeiros que ainda funcionavam a petróleo, passando depois para a iluminação a gás e muito mais tarde para a eletricidade. O "Martinho da Arcada" viveu as grandes revoluções dos últimos dois séculos e recebeu à sua mesa clientes como Bocage, Fernando Pessoa e Amália. Não esqueça de pedir uma Ginjinha, experimente o famoso licor.
No centro da Praça do Comércio, em tempos usado como parque de estacionamento e devolvido recentemente aos Lisboetas, encontra a estátua do Rei José I (rei de Portugal na altura do terramoto de 1755.



ELEVADOR DE SANTA JUSTA - O Elevador de Santa Justa é uma obra de arte concebida por um aprendiz de Gustave Eiffel e liga a Baixa ao Bairro Alto. Abriu em 1902, na época em que funcionava a vapor, e em 1907 começou a trabalhar a energia elétrica, sendo o único elevador vertical em Lisboa que prestava um serviço público. Feito inteiramente de ferro fundido e enriquecido com trabalhos em filigrana, o elevador dentro da torre sobe 45 metros e leva 45 pessoas em cada cabine (existem duas). Em design neogótico romântico, este elevador é definitivamente algo que você não pode perder! O café no topo conta com vistas magníficas sobre o centro de Lisboa e o Rio Tejo.


CHIADO - O Chiado é, hoje, uma área de comércio nobre com todo o tipo de facilidades e animação de rua. Aqui encontra hotéis, teatros, livrarias, museus, restaurantes, lojas de designers portugueses famosos e o famoso refúgio favorito de personalidades como Fernando Pessoa e Eça de Queiroz - hoje eleito pelos alunos de artes - : o café "A Brasileira".
Encontre edifícios incríveis e sinta a história do devastador fogo de 1988. No dia 25 de Agosto de 1988, o Chiado foi devastado por um fogo que começou num armazém na Rua do Carmo e que se estendeu até à Rua Garrett. Apesar de ainda serem visíveis algumas cicatrizes desse terrível acontecimento, um impressionante programa de recuperação devolveu ao Chiado a vida que em tempos teve e agora ele está melhor que nunca! 
Não esqueça de tomar um sorvete de frutas da Santini. Fiz um post sobre a Santini aqui.
E se quiser tomar um drink com uma vista fabulosa para o Rio Tejo vá no Bar do Hotel Bairro Alto, fica bem perto do Café A Brasileira. Fiz um post sobre o Bar do Hotel Bairro Alto aqui. Vale a pena!




MOSTEIRO DOS JERÔNIMOS - O Mosteiro dos Jerónimos é conhecido como a 'jóia' do estilo Manuelino. Este estilo combina elementos arquitetônicos dos períodos Gótico e Renascentista, juntando-os a uma simbologia real e naturalista, que o tornam verdadeiramente único.
Em 1496, o rei D. Manuel I pediu à Santa Sé autorização para construir um grande mosteiro à entrada de Lisboa, perto das margens do rio Tejo. As obras começaram em 1501 e só terminaram quase um século depois. D. Manuel I e os seus descendentes foram enterrados em túmulos de mármore situados na capela-mor da Igreja e capelas laterais do transepto.
Por ter sido construída nos bancos de areia do rio Tejo, a estrutura do mosteiro não sofreu muitos danos com o terramoto de 1755.
Em 1907 foi declarado Monumento Nacional e em 1984 foi classificado “Património Cultural de toda a Humanidade” pela UNESCO.
Poderia escrever muito mais sobre este impressionante monumento, mas o melhor mesmo é ver de perto esta obra prima.

PASTÉIS DE BELÉM - Conhecer Lisboa sem comer Pastel de Belém, não é possível! Pela sua saúde, prove um, ou dois, ou três, ou quatro... adianto logo a informação: pedir um só vai deixar com vontade de mais, muitos mais! 
Todas as manhãs, o 'mestre dos pastéis' inicia a sua tarefa na cozinha, usando uma receita única em todo o mundo. Para além de juntar os ingredientes certos nas quantidades certas, a arte destas pequenas delícias vive muito na confecção segundo os métodos tradicionais - não há máquinas, apenas mãos cuidadosas e talentosas!
Tal como grande parte da doçaria portuguesa, os Pastéis de Belém estão ligados a raízes conventuais. Reza a lenda que havia um confeiteiro, dono de uma refinaria de açúcar - Domingos Rafael Alves -, que se tornou amigo de um pasteleiro que trabalhava no Mosteiro dos Jerónimos. Com a revolução de 1820, desapareceram muitas ordens religiosas, deixando monges e freiras desalojados e muitos trabalhadores desempregados. 
Foi nessa altura que o confeiteiro contratou o pasteleiro - detentor da receita dos pastéis, o homem que impulsionou verdadeiramente a loja de Domingos Rafael e a única fábrica de Pastéis de Belém!

Entretanto, por trás da fachada da refinaria, o pasteleiro trabalhava até de madrugada, tendo a patente da receita sido registada um pouco mais tarde e mantida em segredo até hoje. Nos dias que correm, a fábrica produz cerca de 14 mil pastéis por dia. Está na dúvida se realmente vendem todos? Prove um e descubra a resposta!
À medida que a produção foi aumentando, a necessidade de mais trabalhadores foi-se tornando uma séria preocupação. A possibilidade de haver uma fuga de informação era algo que não podia de maneira nenhuma acontecer, razão pela qual se optou por escolher o novo pasteleiro entre o pessoal da empresa - neste caso, tinham que trabalhar na empresa há pelos menos 25 anos e tinha que ser alguém em quem a empresa confiasse. Mesmo assim, tinham que fazer um voto e assinar um acordo em que se comprometiam a não revelar o segredo dos pastéis. Se quebrassem o acordo, veriam as suas propriedades expropriadas e até podiam ir parar à prisão. Felizmente, nunca ninguém o quebrou e o segredo mantém-se dentro das paredes da fábrica.
Pode comer pastéis de nata em muitos cafés, mas nenhum terá o sabor do original, nenhum é o verdadeiro Pastel de Belém, especialmente quando ainda vem quentinho e é servido com açúcar em pó e canela. Mas, mesmo frios, continuam a ser incrivelmente deliciosos. De qualquer maneira, certifique-se de que prova pelo menos um dos famosos Pastéis de Belém feitos na fábrica original, situada em Belém.
E saiba que pode levá-los para casa ou melhor, para o hotel. Embalados em caixa com o logotipo da fábrica, vêm com pacotinhos de açúcar em pó e canela, para que não perca nada!


TORRE DE BELÉM - A Torre de Belém foi construída na era das Descobertas (quando a defensa da cidade era de extrema importância) em homenagem ao santo padroeiro da cidade, São Vicente.
Este monumento está repleto de decoração Manuelina que simboliza o poder do rei: calabres que envolvem o edifício, rematando-o com elegantes nós, esferas armilares, cruzes da Ordem Militar de Cristo e elementos naturalistas. Com o passar do tempo, e com a construção de novas fortalezas, mais modernas e mais eficazes, a Torre de Belém foi perdendo a sua função de defesa.

Durante os séculos que se seguiram, desempenhou funções de controle aduaneiro, de telégrafo e até de farol. Foi também prisão política, viu os seus armazéns transformados em masmorras, a partir da ocupação filipina (1580) e em períodos de instabilidade política. Finalmente, em 1983 a UNESCO classificou-a Património Cultural de Toda a Humanidade.


FEIRA DA LADRA - Com origem na Idade Média, século XIII, a Feira da Ladra é o mais antigo mercado de Lisboa que ainda tem lugar nos dias de hoje. 
Situada no Campo de Santa Clara, na freguesia de São Vicente de Fora desde 1882, a Feira percorreu anteriormente muitos outros locais históricos da cidade. 
Todas as terças feiras e sábados, do nascer ao pôr-do-sol, por tendas, bancas ou mesmo por panos espalhados no chão, a Feira da Ladra expõe os seus produtos, sobretudo velharias e material usado. 
Livros, roupas, loiças, material de escritório, moedas, discos, cd’s, calçado, fotografias, móveis e mais o que a imaginação consiga conceber, tudo encontra na Feira da ladra e a preços reduzidos, num dos bairros históricos da cidade de Lisboa. 
Algumas das peças são vendidas "com uma história", que os vendedores gostam de contar. Os azulejos antigos são muito procurados por turistas, pode encontrar azulejos do século XIX a 2,5 euros.








sexta-feira, novembro 22, 2013

Clima durante o ano Zurique, Suiça


Temp

Janeiro

Fevereiro

Março

Abril

Maio

Junho
max
12°
17°
20°
min
-3°
-2°
11°

Temp

Julho

Agosto

Setembro

Outubro

Novembro

Dezembro
max
22°
21°
18°
12°
min
12°
12°
10°
-2°


Chuva

Janeiro

Fevereiro

Março

Abril

Maio

Junho
mm
70
70
70
90
100
120

Chuva

Julho

Agosto

Setembro

Outubro

Novembro

Dezembro
mm
120
130
90
70
80
70

quinta-feira, novembro 07, 2013

Cabelereiro Hair Studio, Porto

O Hair Studio é um espaço moderno e dinâmico de extremo bom gosto, oferecendo um serviço de qualidade.
Todos os profissionais são bons, gosto muito do ambiente e da simpatia dos funcionários. Tem diversos serviços: limpeza de pele, depilação, manicure e pedicure, massagem, e outros.

Brushing - 10.50€
Corte Senhora / Homem - 16.00€
Corte criança:
até 5 anos - 6.00€
até 10 anos - 8.00€
Corte de Máquina - 10.50€
Coloração - 35.50€
Coloração INOA - até 38.00€
Banho Nuances - 17.50€
Ondulação - 35.50€ - 50.00€
Californianas - 50.00€
Nuances Parciais - 40.00€
Nuances - 71.00€
Shampoo Kérastase Aplicação - 3.80€
Shampoo L’Oréal Aplicação - 2.80€
Tratamento/Máscara Aplicação - 10.50€


Endereço: Rua Marechal Saldanha 68 - 4150-650 Foz
Contato: +351 935 660 255 - 938 027 609 - 226 161 015
Email: geral@hairstudiocabeleireiros.com
Horário: Segunda a Sábado: 8:30 - 20:30
Website: http://www.hairstudiocabeleireiros.com/


quarta-feira, novembro 06, 2013

VINUM Restaurant & Wine Bar, Vila Nova de Gaia - Porto

Localizado nas Caves Graham`s 1890, em Vila Nova de Gaia, o Vinum - Restaurant & Wine Bar foi inaugurado em fevereiro de 2013, veio complementar e enriquecer a experiência da visita às caves de uma das mais prestigiadas marcas de vinhos do Porto, a Graham’s. 

Pretende tornar-se uma referência gastronômica e proporcionar aos visitantes a experiência de uma refeição nas emblemáticas caves de Gaia, rodeados de pipas de carvalho e com uma paisagem avassaladora sobre o rio Douro. A cozinha, a cargo de jovens chefes portugueses, trabalha a partir dos produtos naturais do Douro e de toda a região Norte, bem como da riqueza das águas atlânticas.

Se preferir pode ficar no terraço, que tem vistas deslumbrantes e pode ser usado quer nos dias mais quentes, quer nos mais chuvosos. Para além das refeições principais, pode-se desfrutar de um copo de vinho com tapas, petiscos e doces a qualquer hora do dia, no wine-bar.

Uma visita na cidade do Porto sem conhecer as Caves de Vinho em Vila Nova de Gaia não é completa, por isso é obrigatória uma degustação de vinhos. Vale a pena marcar um almoço no Vinum e assim já faz a visita sem muito esforço, comendo muito bem!

Endereço: Graham's Port Lodge | Rua do Agro nº 141, Vila Nova de Gaia 4400-281, Portugal
Restaurante: Seg-Sex 12:30-16:00 e 19:30:00:00; Sáb-Dom 12:30-16:00 e 19:30-01:00 | Wine bar: Seg-Dom 10:00-00:00
Preço médio: 40-50€ (vinho incluído)






segunda-feira, novembro 04, 2013

Emails e Dúvidas, aluguel de carro e o sistema de portagem eletrônica Via Verde

LEITOR:

Ione,
Estou indo para o Porto e descobri seu blog por acaso no Viaje na Viagem. Estou apaixonada por seus posts! Obrigada!
Tinha que escrever.
Abraços.


RESPOSTA:

Oi -, que bom que gosta do blog! Muito obrigada!! :)
Se precisar de alguma dica especial estou as ordens! Boa viagem!
Ione

LEITOR:

Ione,
De nada. Já até indiquei ele no facebook do meu blog.
Queria te pedir um conselho, irei alugar um carro para ir do Porto a Lisboa. Faremos esta viagem em 5 dias. Uns amigos meus que estiveram em Portugal agora falaram-me que é preciso de um adesivo magnético (ou algo do tipo) para colocar no carro para passar pelo pedágio. Eles me disseram que não se pode pagar o pedágio com dinheiro? É verdade isso? Pode me ajudar?
obrigada por tudo.
Abraços.


RESPOSTA:

Oi -,
Todas as companhias de aluguel de carro fornecem esse equipamento juntamente com o carro. E é o melhor a fazer, pois é muito prático, chama-se via verde, e você passa sem precisar parar para pagar. Paga no fim de tudo quando for devolver o carro, pois fica tudo registrado.
Tem a possibilidade de alugar o carro sem o via verde mas você teria que parar nos postos de gasolina para pagar e é muito mais complicado.
Obrigada por ter indicado o blog! :)
Se precisar de mais alguma ajuda me avisa.
Ione


LEITOR 2:

Me ajuda numa coisa: os pedágios, eu pago igual no Brasil, em dinheiro na cabine, ou tenho que comprar algum cartão pré pago?
Atenciosamente,


RESPOSTA:

Se você alugar carro a agencia já pergunta se você quer o VIA VERDE incluso que é o sistema de pedágios incluso no carro, é muito mais prático do que pagar em dinheiro, em dinheiro tem que pagar nos postos de gasolina, é uma confusão. É melhor pedir incluso! E é muito mais prático e rápido na estrada. 



domingo, novembro 03, 2013

Emails e Dúvidas, Lisboa e Algarve em 10 dias

LEITOR:

Bom dia, sempre leio seu blog.
Estou indo com minha namorada para Portugal dia 6 de junho. Ficaremos 5 dias em Lisboa e 5 no Algarve.
O que você recomenda para que eu desça para o ALGARVE: alugar um carro ou ir de trem ?
Atenciosamente,


RESPOSTA:

Olá -, nunca fui de trem, sempre vou de carro e acho ótimo ou de avião. Para andar no Algarve e conhecer é bom ter um carro, os restaurantes são distantes das praias e para conhecer a Quinta do Lago por exemplo que é onde o Sena tinha uma casa ou conhecer diversas praias são todas distantes umas das outras. 
Espero que tenha ajudado.
Ione 


LEITOR:

Muiiiito obrigado. Eu irei ficar hospedado em ALBUFEIRA, vou locar um carro então.
Atenciosamente,


RESPOSTA:

Albufeira é onde ficam os hotéis todos e o melhor lugar para se hospedar, tem praia e restaurantes, se quiser nem precisa sair de lá. Mas acho legal conhecer outras partes. Esse restaurante na Quinta do Lago vale a pena a visita: http://www.oguiadeportugal.com/2012/12/restaurante-gigi-praia-quinta-do-lago.html?m=0

Se puder e tiver oportunidade de ir existe um restaurante 3 estrelas Michelin ficou na lista dos melhores restaurantes do mundo, é dentro de um hotel chamado Vila Joya. É bastante caro, mas vale mesmo a pena a experiência. É precioso o lugar! E para quem não está hospedado consegue marcar almoço ou jantar, eu indicaria o jantar para ver o por do sol, é a coisa mais linda! A praia do hotel é restrita apenas para os hospedes, parece uma praia deserta quase, é de uma beleza incrível o lugar!
Boa viagem! :)


LEITOR:

Agradeço demais suas dicas. Eu quero ir nesse Vila Joya... li muito sobre ele. Tem uns lugares em Lisboa que pretendo ir, não sei se vc conhece todos. São esses abaixo


Atenciosamente,


RESPOSTA:

Olá -, 
Sobre os restaurantes:

IBO - não conheço
Bistrô 100 Maneiras - é bom! Gosto muito mas numa lista dos melhores não estaria no topo.
Terraço - não conheço
Largo - é bom! Mas não é dos melhores. 
Cervejaria Ramiro - bem popular, é de marisco muito conhecido! Mas bem antigo, eu substituiria esse pelo SEA ME, que é a mesma proposta sendo moderno e os pratos são reinventados, muito legal e comida maravilhosa!
Assinatura - fui e não achei nada demais, nem comida, nem ambiente. Achei bonita a apresentação dos pratos e só.
Varanda do hotel Ritz - não voltaria lá, levei meus avós achando que era uma maravilha, também li na internet que era bom e foi horrível, comida péssima! Já a varanda do hotel Bairro Alto vale a pena!! Tem uma vista maravilhosa, não é bem um restaurante, é mais descontraído, sanduíches e saladas e bebidas, se você não quiser almoçar lá pode ir tomar apenas um drink e vai adorar a vista! Levo sempre amigos lá e todos adoram!! 
Sessenta - Nunca fui!
Doca Peixe - já fiz um post no blog e gosto de lá!! Vale a pena conhecer! E só se estiver sol, se estiver chovendo e frio já não é bom porque não fica na parte exterior que é o que vale a pena pela vista para o Tejo.

Melhores restaurantes em Lisboa: 
Belcanto, Cervejaria da Esquina (as cervejarias são típicas em Lisboa e essa é uma cervejaria moderna, feita pelo famoso chef Vitor Sobral, o Alex Atala de Portugal, os pratos são tipo petiscos, tem um post no blog), Solar dos Presuntos, Sea Me, Panorama (no hotel Sheareton, fica no último andar e tem uma vista maravilhosa para a cidade, vale a pena!), Olivier Avenida. 
Para mim são os melhores!! 

sábado, novembro 02, 2013

Emails e Dúvidas - Lua de Mel em Portugal

LEITOR:

Ione,
boa noite !!!
Tudo bem com vc??

Vou me casar e vamos passar a lua de mel em Portugal.... estou aqui quebrando minha cabeça pra encontrar um roteiro que otimize meu tempo e dinheiro.... e me deparei com seu blog !!! Amei, que organização !!!!
Sempre pesquiso as coisas no Ricardo Freire, e infelizmente sobre Portugal o Viaje na Viagem não tem tantas coisas disponíveis... mas me mostrou seu blog!!

Se vc puder me responder, ficarei muito feliz.... estamos há um tempo planejando essa viagem, mas é realmente dificil montar um roteiro quando vc não tem muitos conhecidos que já fizeram o roteiro que estamos procurando. Meu noivo é super organizado... sobre os lugares que ele já visitou ele faz um relatório completo e quem dá sorte de ir pra mesma cidade depois, já tem um guia todo prontinho.

A minha dúvida, e se vc puder me dar sua opinião, é sobre o roteiro que fizemos..... não sei se está demais ou de menos em alguma cidade, ou se tem algo melhor que estamos deixando pra tras.. a principio pensamos em 2 semanas.... estamos querendo passeios pra fazer mais tranquilos, sem aquela necessidade de ficar correndo loucamente pra conhecer as coisas.....

Lisboa - 3 dias (além das noites após os bate e volta pra Obidos, Sintra e Evora)
Obidos - 1 dia (bate e volta de Lisboa)
Sintra - 1 dia (bate e volta de Lisboa)
Évora - 1 dia (bate e volta de Lisboa)
Porto - 2 dia
Aveiro - 1 dia
Coimbra - 2 dias 
Ilha da Madeira - 3 dias

Não sei se no Algarve tem alguma cidade imperdivel.... e me falaram sobre Porto Covo, mas acabei não incluindo no roteiro...
Bom, se puder me ajudar, ficarei imensamente feliz e agradecida :)
Beijos,



RESPOSTA:

Mando em anexo um roteiro de lua de mel de uns amigos meus que ajudei a montar, eles vieram em novembro, estava muito frio. Os hotéis foram eles que escolheram, se você precisar de dicas de hotéis ou ajuda eu posso tentar te ajudar. Acho que esse roteiro pode te guiar de alguma forma. Tudo que está escrito em vermelho no documento do word foi escrito por mim.
O Algarve é lindo e no verão vale muito a pena a visita! Albufeira é o lugar mais conhecido de lá, onde ficam os hotéis, é bem legal.
A ilha da Madeira é linda e super diferente, um lugar que você nunca vai esquecer, 3 dias já dá para conhecer mais ou menos a ilha e você vai ficar com vontade de mais. :)

- Lisboa - 3 dias (além das noites após os bate e volta pra Obidos, Sintra e Evora)
3 dias em Lisboa é o ideal! Tem dicas valiosas no blog! Restaurantes maravilhosos..veja esse post como guia para passeio: http://www.oguiadeportugal.com/2012/03/13-coisas-imperdiveis-em-lisboa.html?m=1

- Obidos - 1 dia (bate e volta de Lisboa)
Óbidos é bem pequena, em 1 hora no máximo você conhece tudo e mais alguma coisa! É interessante, muito turística, mas vale a visita! Eu não perderia uma noite para dormir em Óbidos.

- Sintra - 1 dia (bate e volta de Lisboa)
Dá para ir em Cascais de manhã por exemplo, almoçar em Cascais e de lá ir para Sintra e voltar no fim da tarde para Lisboa.

- Évora - 1 dia (bate e volta de Lisboa)
Vale a visita, é uma cidade histórica linda, pequena e em pouco tempo pode conhecer.

- Porto - 2 dias
Ótimo! Vão adorar o Porto, tem dicas legais no blog.

Vou tentar te ajudar melhor com seu roteiro. 
Espero que esse roteiro em anexo te ajude! 
Beijos, Ione


ROTEIRO LUA DE MEL

DIA 25 sai do Brasil com destino a Lisboa.

DIA 26 Chegada prevista para as 10:00 am, iremos pegar o carro e seguiremos em destino a Óbidos (Fica a 100 quilômetros de Lisboa. O caminho é pela autoestrada A-8 (com pedágio) 50 minutos mais ou menos (lá iremos passear pela muralha, que é a principal atração, segundo a IONE, cerca de 30 minutos já vê tudo)
Em Óbidos visitar o Castelo do século XII, a Igreja de São João Baptista, a Porta da vila, a Rua Direita, a Igreja de São Pedro, a Igreja da Misericórdia, a Igreja de Santa Maria, o Pelourinho e Telheiro. É tudo muito perto, vocês vão andar e ver tudo rapidinho. Tem que beber: A famosa Ginja de Óbidos no copo de chocolate, é um licor da fruta Ginja que tem um sabor muito parecido com o da cereja. Custa algo como 1,50 euro o copinho, não esqueça de levar 1 garrafa para casa!
e seguiremos até Fátima que fica 95km de Óbidos (40 minutos + ou -) e iríamos direto para Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, principal atração da cidade, que pelo que vi, no Máximo em 1 hora já viu tudo na cidade
Em Fátima é muito rápido a visita, a não ser que assistam alguma missa, a cidade não tem o que ver, somente a basílica, vocês vão direto lá no complexo, é enorme mas não tem muito o que ver, apenas entrar na Igreja principal e fora tem uma espécie de Igrejinha de vidro que tem missas, lá é onde aconteceu o milagre, existia uma árvore que foi onde as 3 crianças viram a Santa, mas infelizmente a árvore morreu e no lugar fizeram isso,  depois de andarem por ali, podem visitar as lojinhas que vendem medalhas, o rosário, etc.
 e depois seguiremos até mealhada, pois almoçaria no Pedro dos leitões
Na mealhada peçam o leitão com as típicas batatas fritas e o vinho da casa, costuma ser um vinho tinto com gás, é uma delícia! Só se bebe lá mesmo.
O restaurante da Quinta das Lágrimas é maravilhoso!! É dos poucos que tem estrela Michelin em Portugal. Em Coimbra se der tempo podem conhecer a Faculdade de Direito, a biblioteca é incrível, muito antiga e já foi considerada das melhores do mundo. Tem também o Portugal dos pequenitos, é uma espécie de parque de diversão para crianças, mas super educativo, reproduziram todas as obras importantes da arquitetura de Portugal em tamanho reduzido, com todos os detalhes! Igrejas, Palácios, casas típicas... é incrível! Eu adorei conhecer!! Se conseguirem passar por lá acho que vale a pena. Ah, e essas visitas são bem rápidas, não demora muito!


DIA 27 Seguiremos para Porto, onde ficaremos até o dia 30/11 no SHERATON PORTO HOTEL & SPA (rua tenente valadim, 146, Boavista porto, 4100-476, telefone+351 220 404 143) e poderíamos comer _____________________ e depois passear pela cidade, ver alguma atração e jantar no _________________ .
Poderiam almoçar no SHIS (http://www.shisrestaurante.com/main.html)que é super agradável, tem uma vista linda para o mar, dá para ver o encontro do Rio Douro e o mar bem perto. No Shis tudo é bom, sugestões: Entrada – Kataifi de Camarão, variações de Foie Gras. Prato: Risotto de cogumelos, Tornedó Welligton com Foie Gras (é um bife folhado, uma delicia!). Sobremesa: Foundant de Caramelo (não perder de provar esta!)
Em seguida ir em GAIA nas caves de vinho do Porto, tem muitas caves, basta ir em uma, a cave Offley é bem legal, atenção que é bom pedir ao hotel para ligar antes para ver o horário das visitas, pois tem visitas em todas as línguas e o ideal é ir em um tour português, tem alemão, inglês.... Podem checar também na Cave Ferreira caso não consiga horários bons na Offley. Caso queiram no fim do tour tem sempre lojinha para comprar vinhos e tem o cálice oficial do vinho do Porto, foi especialmente desenhado por Álvaro Siza (O Niemeyer português) é o arquiteto mais conhecido de Portugal e um dos mais reconhecidos do mundo, o copo é mais alto e fechado no topo para melhor liberar os aromas, Assenta numa haste de quatro faces com uma base redonda, ligeiramente mais delgada de um dos lados, e apresenta um detalhe incrível: um pequeno recorte em forma de meia lua numa das arestas, no meio do pé, onde se encaixa o polegar, e é isso que faz a diferença nesta peça, onde junta a utilidade e funcionalidade à capacidade para encantar, como deve ser qualquer objeto de design perfeito. Irresistível a compra de alguns copos para ter em casa! J
Para jantar eu indicaria o hotel The Yeatman, não pela comida, apesar de ser um restaurante super requintado e bonito, acho a comida diferente e moderna demais, não é um restaurante que dá vontade de voltar, mas vale a pena pela vista!!! Você vai ver a cidade toda iluminada, o rio... é um encanto! Se acharem que não vale a pena conhecer, indicaria o Pedro Lemos que é um restaurante bem moderno, a comida é uma maravilha, é cozinha portuguesa reinventada, super perto do SHIS, mas não tem vista alguma.
DIA 28 ver o que fazer
Turismo de manhã: Ir na estação São Bento, uma estação linda com azulejos portugueses, perto da Câmara Municipal (a prefeitura), depois ir na  Rua Santa Catarina, conhecer o Café Majestic, o café mais antigo da cidade. – Perguntem no hotel, podem ter uma van com motorista que pode levar vocês nos locais e explicar tudo, ou podem ir naqueles ônibus de Turismo mas como vai estar frio acho que não será boa idéia.
Almoço: Podiam comer uma francesinha! Sanduiche tipo croque monsier típico do Porto, é uma mistura de carnes dentro, salsicha, porco, filé... Podem pedir a mais simples tipo só com filé, ou como quiser, mas garanto que a mistura de todas é muito boa!! J Tem dois famosos, um perto da Rua Santa Catarina onde fica o Majestic, na rua Passos Manoel: Café Santiago ou no Capa Negra que é outro muito antigo e conhecido. Para acompanhar peçam um Fino (Um Chop!)!!
Podem conhecer a Livraria Lelo e a torre dos Clérigos na parte da tarde.
Jantar: No restaurante Terra, se não tiverem ido no Pedro Lemos podem conhecer.

DIA 29 Vamos até Guimarães, passaremos o dia lá e voltaremos à noite para porto, poderíamos comer no __________________________
O melhor restaurante de Guimarães é o São Gião, não é bonito ou nada disso, mas é a típica comida portuguesa, é muito bom!
DIA 30 Iremos seguir até Évora, que fica a 360 km de porto, cerca de 3 horas de carro, onde dormiremos 1 noite no hotel M’AR DE AR MURALHAS, TRAVESSA DE PALMEIRA 4, ÉVORA, 7000-546, telefone +351 266 739 300) onde iremos conhecer a Fundação Eugênio de Almeida (Quinta de ValbomEstrada da Soeira 7000-769 Évora, Horário: De 3ª feira a Sábado, às 11h30, 14h00 e 15h30) As visitas são guiadas, terminam com uma prova de vinhos e azeites e têm duração aproximada de 1h30.  e jantaríamos no _____________________

DIA 01 Iriamos Visitar o Palácio dos Duques de Cadaval (Rua dos duques de Cadaval, 7000-845 Évora, Horário 10h00-12h30 / 14h00-17h00) e vamos visitar o Fórum Eugénio de Almeida (Páteo de S. Miguel, 7000 Évora, Horário: Diariamente 09h30-19h00), almoçaríamos no ______________ e seguiremos até Lisboa, onde ficaremos no Hotel EUROSTARS DAS LETRAS, (Rua Castilho, 6 - 12, Coração de Jesus, 1250-069 Lisboa) onde ficaremos até o dia 05/12.

Podem almoçar no Fialho, tem fama de um dos melhores restaurantes de Portugal!!

DIA 02 Vamos até Sintra, Cascais e Estoril (onde tem o casino), as distâncias são Lisboa/Sintra 30km, cerca de 20 minutos, Sintra/Cascais 15Km cerca de 10 minutos, Cascais/Estoril 4Km cerca de 5 minutos e Estoril/Lisboa 28Km cerca de 20 minutos.

Vocês podem sair do hotel com calma, umas 11 e ir direto para Estoril e Cascais, vale a pena almoçar em Cascais, o nome do restaurante é Porto Santa Maria, simplesmente imperdível! Comer de entrada ameijoas à Bulhão de Pato, prato principal tem arroz de Marisco, peixe no pão (vai no forno envolvido no pão!)... Depois do almoço seguem para Sintra, não deixar de conhecer o Palácio da Pena, lindo!! E tem que comer na Pirikita, os famosos travesseiros! Vocês vão ver logo, é bem no centro da cidade, faz fila na porta!

DIA 03 Devolveremos o carro e iremos conhecer Lisboa a pé

A Av. da Liberdade e Rua do Castilho tem muitas lojas, podem dar um passeio, fazer compras...

Almoço: No solar dos presuntos, comida típica portuguesa, uma maravilha!!! Esse tem que conhecer, tem uns 3 andares, enorme e uma delicia a comida!

No Chiado tomem sorvete de frutas na Santini, podem conhecer o elevador de Santa Justa.

DIA 04 Lisboa

Podem conhecer o Castelo de São Jorge, pegam um bondinho (elétrico que chama em Portugal), é um passeio bem legal, tem uma vista incrível para a cidade toda!

Almoço nas Docas é na Beira do Rio Tejo, onde tem uma marina e vários restaurantes, as Docas são tipo uns galpões e hoje em dia é tudo restaurante. Costumo comer no restaurante Doca Peixe, mas tem outras opções, adoro camarão tigre, peixe no sal... Se tiver chovendo ou muito frio não vale a pena.

Segunda opção: SEA ME, restaurante de mariscos ótimo, bem moderno. Tem sushi de sardinha!

A Tarde podem conhecer o mosteiro dos Jerónimos e a torre de Belém, e comer os famosos pastéis de Belém!!!

Jantar podem escolher entre o Olivier Avenida ou o Tasca da Esquina ou Cervejaria da Esquina. O Olivier é bem decorado, o chef Olivier é bem conhecido, os pratos são modernos assim como a decoração e deliciosos! Já o Tasca e o Cervejaria da Esquina são do chef Vitor Sobral, muito famoso, inclusive tem um Tasca da Esquina em São Paulo, os pratos são tipo entradinhas, onde você não come só um prato, são vários para dividir, é uma delicia, mais descontraído, estilo completamente diferente do Olivier. O Tasca da esquina e a Cervejaria da Esquina são praticamente a mesma proposta de comida, a decoração que muda.

DIA 05 Sairemos do hotel e iremos até o aeroporto, pois nosso voo sai de 14:25 com destino a Barcelona, chegaremos em nosso destino as 17:15 e iremos direto ao hotel deixar as malas e passear pela Ramblas.

DIA 06 Iremos fazer o City Tour com ônibus (fazer a rota Ruta Blava) são os pontos mais distantes e imperdíveis, iremos parar nos seguintes pontos turísticos, La PedreraSagrada Família, Parc Guell e o estádio do Barcelona.

É bem agradável almoçar em Barceloneta, tem um restaurante que chama Caranguejo Loco, é uma delicia!! Vale a pena!


“O  bilhete é único e pode fazer as outras também, inclusive tem paradas que fazem essa conexão, mas eu ainda prefiro conhecer o máximo possível da cidade à pé. A Sagrada Família, maior obra de Antonio Gaudi que viveu nela por 16 anos e que ainda está em construção merece uma visita de pelo menos 1 hora. O lindíssimo Parc Guell, considerado patrimônio da humanidade pela Unesco, merece, tanto pelo seu tamanho, beleza e vista, ao menos 2 horas de visitação. É um dia de imersão nas obras de Gaudi e faz qualquer um sair da cidade fã dele, mesmo que não entenda muito de arquitetura. Se organize nas paradas para que a Sagrada Familia fique para a parte da manhã e o Parc Guell para o começo da tarde”.

Onde Comer:
Fátima: caso demore, faríamos um lanche e almoçaríamos mais tarde no Pedro dos Leitões

Évora:
Os dois restaurantes disputam sempre como os melhores de Portugal e ambos ficam em Évora.
Restaurante Tasquinha do Oliveira, Rua Cândido dos Reis 45 – A, 7000-582 ÉVORA, Não deixe de provar as pataniscas de bacalhau, o cozido com grão à alentejana, ou o arroz de pombo. Nível de Preço Alto (50 por pessoa)
Restaurante Fialho, Travessa dos Mascarenhas, 16, Évora. Nível de Preço Alto (50 por pessoa)
Taberna Típica Quarta-Feira, Rua do Inverno, 16 – 18, 7000-599 ÉVORA, Nível de Preço Médio
Restaurante Jardim do Paço, Palácio das Cinco Quinas, 7000-845 Évora, Nível de Preço Barato
Restaurante Dom Joaquim, Rua dos Penedos, 6, 7000-537 Évora, Nível de Preço Barato

Conheço o Dom Joaquim e gosto muito da comida. Não é muito turístico como o Fialho.